Conteúdo em ‘Museu Afro Brasil’

4 Artistas Espontâneos: Aurelino, Nino, Paulo de Jesus e Manuel Graciano

Abertura dia 11 de dezembro, às 10h.

Museu Afro Brasil

Av. Pedro Álvares Cabral, s/n
Parque Ibirapuera – Portão 10
São Paulo / SP – Brasil – 04094 050
Fone: 55 11 3320 8900

Aurelino (1942 – Salvador – BA)

“No universo de nosso pintor, a palavra comparece, sem lei, e o pincel sem amarras desliza sobre as telas, construindo formas simbólicas, nas quais se misturam homens, máquinas e natureza: ônibus-homens, avião- coqueiro, navio-peixe, formas nunca vistas antes. E ele explica: ‘ônibus é capa de gente, avião tem coqueiro embaixo, navio é peixe”, construindo assim sua teoria. Letras e números também povoam seus quadros e com sabedoria, afirma: ‘A letra é que faz o mundo”.

Urania Tourinho Peres, Psicanalista.

Aurelino, 2009. Acrílica sobre tela
Nino (1920 – 2002 – Juazeiro do Norte – CE)
“Calado quase mudo. Seu corpo franzino movimenta-se lentamente em gestos precisos. Tudo nele é contenção. Os olhos distantes, como sempre à espreita, contemplam algo visível só para si, lá no infinito”.

“Vendo o toco eu dou fé logo do que assenta naquele pedaço de pau; corto até deixar no jeito. Primeiro desenho com a tinta as figuras, depois cavo com o escopo. Vou fazendo e reparando, às vezes tem uma falha, aí vou ajeitando. Do mesmo jeito é pra pintar; vejo a tinta que mais assenta a qualidade. Quero que o povo ache bonito”””””””” Nino por Nino. Acrescenta: ‘Se a pessoa não está satisfeita eu trato de ir ajeitando, aí se tornar a dizer não, eu digo que não tem jeito não, tem que ir procurar outro. A peça pode ficar porque logo chega outra que se agrada. As coisas que eu tenho feito não empancam”””””””””.

Dodora Guimarães.

Nino, Juazeiro do Norte/CE. Madeira Policromada. Acervo Museu Afro Brasil.
 
 
Paulo de Jesus: Carrinhos de Café (Salvador, BA)

Na cidade de São Salvador, tudo é original. O trabalho urbano dos escravos de ganho, com suas negras quituteiras e meninos-barbeiros, marcaram a identidade de uma cidade voltada para a rua. Ecos modernos desta tradição, estes pequenos carrinhos de café fundem imagens, significados, máquinas, cheiros e sons. Como pequenos carros alegóricos, são a expressão da criatividade lúdica do artista popular, interessado em ganhar o seu pão, sem perder a poesia. O artista Paulo César de Jesus, autor dos carrinhos aqui expostos, foi o precursor desta arte, tendo inclusive alugado suas obras para a filmagem do filme Ó paí, ó.

Paulo César de Jesus, Carrinho de café. Técnica Mista. Acervo Museu Afro Brasil
Manuel Graciano (1923 – Santana do Cariri – CE)
 “Sua escultura em madeira vai ganhando em pouco tempo a liberdade da forma própria, autoral. Manuel Graciano compõe grupos com vários personagens que formam um verdadeiro conjunto escultórico, com a possibilidade da permutação das figuras. É parcimonioso nas cores, que integra com grande domínio à forma esculpida. No seu Presépio, tons de terra, verdes e rosa predominam com pequena, mas segura, inclusão do azul nos trajes dos anjos. Graciano tem um veio de humor que pode crescer até o mais flamejante expressionismo em muitos de seus trabalhos.”

Lélia Coelho Frota

Manuel Graciano Cardoso, Presépio. Madeira Policromada, Coleção Particular.

Sobre a exposição de Delmar Mavignier, com fototecidos, vídeos,lumigramas e sons.

Vídeo sobre o núcleo Trabalho e Escravidão da exposição permanente do Museu Afrobrasil, em São Paulo, que mostra, entre outras coisas, as regiões do continente africano de onde vieram os negros escravizados, valorizando o conhecimento e as técnicas implantadas por eles na agricultura e na mineração brasileira.

Pesquisar

Featured Box Wordpress Plugin developed by YD